Notícias

Projeto social realizado por pai e filhas é um convite para vivência diferente

'Arte Alma' promove encontro entre pessoas que gostam de arte e querem expressá-la

 

foto

'Arte Alma', a dança a serviço da vida (Rogério Soares / AT)

De A Tribuna On-line
Por Bruna Faro


A paixão pela arte e pelo mundo passou de pai para filhas. Nascido na Itália, Silvano Caniati chegou ao Brasil em 1980 e se tornou, em terras santistas, um dos grandes coreógrafos da época. Criou uma oficina de dança na cidade, foi diretor do Corpo Estável de Dança do Teatro Municipal de Santos e suas filhas, Thaís e Maria, cresceram nas coxias do teatro, observando cada passo de seu pai e absorvendo toda sua energia. A paixão pelo país, pela música e pelas filhas fez Silvano ficar aqui até 1993.

Vinte e cinco anos depois, os três resolveram se reunir, trazendo até Santos o projeto 'Arte Alma'. Na sexta (26), Silvano e Thaís farão uma oficina de dança aberta ao público, às 18h, no Laboratório Flamenco (R. Xavier Pinheiro, 228, Encruzilhada), para contar um pouco sobre o espetáculo 'Elos', que será apresentado em outubro como uma das atividades do programa.

'Arte Alma' é um projeto social que promove, uma vez ao ano, um encontro entre aqueles que gostam da arte e querem expressá-la de alguma forma. “Trabalhamos vários temas e trazemos a arte na dimensão que a gente acredita. Espiritual mas também concreta, atingindo a todos”, explica Silvano.

Origem
O projeto nasceu na Itália, onde Silvano tinha uma oficina chamada 'Arte Alma' e queria, por meio da arte, despertar a beleza interior de cada um. “Sempre senti vontade de realizar projetos culturais no Brasil. Conversando com meu pai, percebemos que ele desejava o mesmo. Veio então uma pitada de cara-de-pau e tentamos um projeto-piloto em 2018”, relembra Maria Caniati, que vive na França há 20 anos e organiza de lá toda a programação.

Assim, uma vez ao ano eles fazem uma apresentação e algumas oficinas. O primeiro espetáculo foi 'Despertar', em 2018, com baixo orçamento e todos os recursos obtidos por meio de financiamento coletivo da Itália, França e Brasil, realizado por amigos e entusiastas do projeto. Em 2019, estão trabalhando no 'Elos'. “Onde estão os meus elos, a minha conexão com os outros, com a vida? Vamos mostrar o elo de trabalhar junto, cada um colocando um pouco de si”, diz Silvano.

Nesta sexta, 26, eles vão explicar ao público o que é o Elos. “Contaremos sobre o projeto, fazeremos um encontro com música e dança. Vamos abrir as portas para as pessoas virem conhecer a casa e o 'Arte Alma'”, conta Thaís, dançarina de flamenco que herdou do pai o dom de transformar os sentimentos em dança.

“A dança é o que tem entre um passo e outro. Tudo pode ser dançado. A partir do momento que estamos conectados, tudo vira dança”, demonstra Thaís, com seus passos marcantes e encantadores.

“Mostramos que a dança está aberta a todos e ligada a tantas outras artes. Não existe idade, sexo ou tipo físico limitando a expressão do imaginário, da criatividade e do desejo de expressão”, completa Maria.
 

Leia Também

Compartilhe

 

Galeria Tri

Vídeos

Clique aqui e peça sua música
 

Qual brinde da Tri você mais gosta?

Ver Resultado