Notícias

Completando 125 anos, A Tribuna quer eternizar sua história

Processo de digitalização de seu acervo vai permitir que edições antigas possam ser consultadas via internet

 

foto

Acervo história de A Tribuna coleciona mais de 1,5 milhão de páginas do jornal (Foto: Luigi Bongiovanni/Arquivo/A Tribuna)

De A Tribuna On-line

Ao completar 125 anos, hoje, A Tribuna anuncia que está em curso a captação de recursos para a digitalização de sua coleção, processo que tornará a pesquisa em seu acervo muito mais fácil e rápida.

Digitalizar a coleção significa transformar em acesso digital o que hoje está apenas no acervo impresso, ou seja, todos os exemplares ao longo de sua história. Muitos veículos impressos já passaram por esse processo, tornando a consulta pública a reportagens, fatos históricos e fotos muito mais fácil aos leitores e internautas.

Desde o final de 2018, o Instituto Histórico e Geográfico de Santos (IHGS) possui autorização do Governo Federal, via Ministério da Cultura (hoje Secretaria Especial de Cultura), para a captação de recursos via Lei Rouanet (Lei 8.313/91) visando a digitalização de cerca de 1,6 milhão de páginas do acervo histórico do jornal A Tribuna, contemplando edições do periódico entre 1894 e 2010.

Após digitalizado, todo o conteúdo histórico passará por um sistema de reconhecimento de texto, para efeito de buscas e pesquisas por palavras-chave. A ideia é disponibilizar o acervo na internet de forma pública e gratuita.

“Com esse processo concluído, conseguimos perpetuar essa história. E não estamos falando apenas da história do jornal, mas de toda a região. Pelas páginas de A Tribuna passou todo o desenvolvimento da região. Essa é uma trajetória que o tempo não vai mais apagar”, diz o diretor-presidente de A Tribuna, Marcos Clemente Santini.

“A Tribuna é parceira do desenvolvimento da região, parceira das boas iniciativas. Acompanhando as novas tendências de consumo de informação, trabalhamos agora com o conceito de multiplataforma. Queremos estar onde o leitor estiver: jornal impresso, celular, desktop, rádio ou TV, oferecendo conteúdo de relevância e credibilidade”. Marcos Clemente Santini, diretor-presidente de A Tribuna.

Parceria com IHGS

O jornalista e pesquisador Sergio Willians, vice-presidente do IHGS e coordenador do projeto, considera o trabalho um marco para o segmento de memória não só para a cidade de Santos, como para toda a região da Baixada Santista e Vale do Ribeira. “O jornal A Tribuna é testemunha ocular de praticamente toda a história recente, santista e regional, desde 1894. Praticamente tudo o que conhecemos, como o Porto de Santos, as indústrias do Polo Petroquímico-Siderúrgico de Cubatão, o comércio, os serviços públicos, os clubes sociais, empresariais, esportivos e culturais, as prefeituras, os sistemas de transporte, enfim, tudo o que nos cerca teve sua origem e desenvolvimento relatado em reportagens, artigos, editoriais, anúncios e outras formas de comunicar pelo jornal. Poder compartilhar esse tesouro com a sociedade é algo que não tem preço. Afinal, nossas memórias são um patrimônio extraordinário”.

Sergio enfatiza ainda que o conteúdo histórico a ser digitalizado revela a impressão dos santistas diante dos grandes fatos nacionais e internacionais, das grandes guerras, das conquistas do ser humano, das alegrias e dramas cotidianos. “É um material riquíssimo para toda sorte de estudos e trabalhos”.

“A Tribuna viu passar por suas páginas muitas histórias da região, do País e do mundo. São 125 anos acompanhando o desenvolvimento desta Baixada Santista. Sintonizada com os movimentos mais modernos, investe agora, fortemente, na área digital, fortalecendo sua marca no portal como referência em bom jornalismo”. Roberto Clemente Santini, diretor-presidente da TV Tribuna.

Sinergia

A expectativa em torno da viabilidade da execução do projeto é compartilhada pelo presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santos, Lupércio Mussi, que celebra o acordo de cooperação entre a instituição cultural de 81 anos e o Grupo Tribuna. “Projetos desta natureza possuem total vinculação com os princípios do IHGS, que tem como missão primária a preservação e a difusão da história de Santos e região. Estamos muito felizes de ter a oportunidade de promover este trabalho que, com certeza absoluta, é um dos mais significativos da história de nossa cidade. Depois de pronto e disponível ao público, a forma como se entende e estuda a história santista recente estará bastante mudada”.

O projeto de digitalização de A Tribuna está inscrito com o Pronac 183424, inserida na área de Patrimônio Cultural, segmento Preservação de Patrimônio Material, pelo artigo 18 (100%).

Outros jornais - alguns que não circulam mais - já foram digitalizados e estão disponíveis para a consulta do público.

A Fundação Biblioteca Nacional oferece aos seus usuários a Hemeroteca Digital Brasileira, portal de periódicos nacionais que proporciona ampla consulta, pela internet, ao seu acervo de periódicos – jornais, revistas, anuários, boletins – e de publicações seriadas.

“Nossa história é feita de inovação e ousadia. Desde a época do meu avô, estamos sempre nos renovando, nos reinventando. Por mais que as novidades tecnológicas sejam incorporadas aos processos, nossa essência não mudou ao longo desses 125 anos: jornalismo sério, de credibilidade. Foi isso que nos trouxe até aqui”. Renata Santini Cypriano, diretora de Marketing.

Na Hemeroteca Digital Brasileira, pesquisadores de qualquer parte do mundo passam a ter acesso, inteiramente livre e sem qualquer ônus, a títulos que incluem desde os primeiros jornais criados no país – como o Correio Braziliense e a Gazeta do Rio de Janeiro, ambos fundados em 1808 – a jornais extintos no século 20, como o Diário Carioca e Correio da Manhã, ou que não circulam mais na forma impressa, caso do Jornal do Brasil.

Entre as publicações mais antigas e mesmo raras do século 19 estão, por exemplo, O Espelho, Reverbero Constitucional Fluminense, O Jornal das Senhoras, O Homem de Cor, Marmota Fluminense, Semana Illustrada, A Vida Fluminense, O Mosquito, A República, Gazeta de Notícias, Revista Illustrada, O Besouro, O Abolicionista, Correio de S. Paulo, Correio do Povo, O Paiz, Diário de Notícias, e também os primeiros jornais das províncias do Império.

Do século passado, podem ser consultados revistas de grande importância como Careta, O Malho, O Gato, Revista da Semana, Klaxon, Revista Verde, Diretrizes e jornais que marcaram fortemente a história da imprensa no Brasil, como A Noite, Correio Paulistano, A Manha, A Manhã e Última Hora.

“Em um universo onde se consome informação o tempo todo, em vários formatos, é uma honra muito grande integrar um veículo de comunicação que se consolidou tendo a seriedade e a credibilidade como pilares. Em época de fake news e notícias desencontradas, o leitor sabe onde procurar informação séria e bem apurada”. Flávia Clemente Santini, diretora de Circulação.
 

Leia Também

Compartilhe

 

Galeria Tri

Vídeos

Clique aqui e peça sua música
 

Qual brinde da Tri você mais gosta?

Ver Resultado